Quatro aquisições em um mesmo dia movimentam o mercado de saúde suplementar.

Dasa, Rede D’Or e Fleury anunciaram no último dia 01 de junho a compra de 4 (quatro) instituições de saúde. Sendo que o Fleury anunciou a compra de duas delas.

Somadas as operações acordadas por Dasa, Fleury e Rede D’Or somam quase 1,3 bilhões de reais. Ratificando a relevânia do segmento de saúde suplementar no mercado de ações.

O Fleury comprou duas redes de laboratórios de medicina diagnóstica no Estado do Espirito Santo: O Laboratório Pretti e Bioclínico, somados custaram aproximadamente 230 milhões de reais.


Hospital da Bahia visto do alto.

O Dasa adquiriu o Hospital da Bahia em Salvador, por R$ 850 milhões que serão pagos em dinheiro.

A Rede D’or tem acordo de compra do Hospital Serra Mayor, em São Paulo. O valor do ativo foi estabelecido em 130 milhões de reais, do qual é descontado do endividamento líquido no fechamento da operação.

Na foto, o Paulo Hoff a esquerda, Presidente da Oncologia D’Or

Tasy apoia gestão de operadora de saúde da Santa Casa de Ponta Grossa

“O Tasy em HTML5 nos ajuda a ter um controle melhor da operação. Isso é fundamental, pois trabalhamos com contratos cheios de particularidades” – Denise de Almeida – Supervisora de Apoio

Com mais de um século de existência, a Santa Casa de Misericórdia de Ponta Grossa funciona em um prédio tombado pelo patrimônio cultural do município. Nasceu modesta, em 1912, com apenas 12 leitos destinados aos doentes. Hoje, a construção de fachada amarela, encimada por uma torre com um grande relógio, é um hospital referência para a população da região de Campos Gerais.

A cada mês, realiza mais de 22 mil atendimentos e 900 internações. A tradicional instituição de saúde buscou na tecnologia o apoio para tornar mais eficiente a sua performance operacional, administrativa e Financeira. Desde 2005 adotou o sistema Tasy para auxiliar na gestão de seus 220 leitos, das UTIs adulto e neonatal, de nove centros cirúrgicos, maternidade, pronto-atendimento e laboratório. Para dar conta da infraestrutura desse complexo hospitalar, conta também com o auxílio de 190 médicos especialistas em seu corpo clínico e mais de 800 funcionários.

Em 2015, a entidade lançou o Santa Casa Saúde, um plano de saúde com o objetivo de oferecer cuidados e serviços mais acessíveis à comunidade local. “Como já éramos clientes do
Tasy no hospital, achamos que seria eficiente adotarmos o mesmo sistema para a operadora”, relembra Denise de Almeida, supervisora de Apoio.


Resultados

  • Agilidade na análise de resultados
  • Tomadas de decisões embasadas em mais indicadores
  • Controle aprimorado dos processos
  • Redução do tempo de análises de contas médicas em 88,68% para consultas, 56,91% para internação e 58,10% em SADT, entre 2018 e 2020

Clique aqui e acesse mais detalhes sobre o case.

A WS IT inicia 2021 no projeto GNDI – Hospital Salvalus

O Hospital e Maternidade Salvalus, é um complexo hospitalar situado na Mooca em São Paulo, com atendimento especializado em Ginecologia, Obstetrícia e Pediatria, ele dispõe de equipamentos de última geração e equipe multidisciplinar altamente qualificada. Sua infraestrutura é composta por pronto-socorro infantil, maternidade e leitos de UTI Adulto, Neonatal, Coronariana e Hospital-Dia. 

Centro Obstétrico projetado com 4 salas cirúrgicas para oferecer o que há de mais moderno; Sala “inteligente” permite visualizar cirurgias através de microscópio de alta tecnologia; Sala destinada a exames de congelação para utilização durante o período cirúrgico; Centro Cirúrgico possui 14 salas com equipamentos de última geração.

A WS IT aloca para este projeto um time de consultores especialistas em TASY / Philips, ratificando ainda mais a experiência do time para projetos no Nordeste.

Este é o 3° projeto do GNDI que a WS IT atua em São Paulo. A nossa parceria com a Philips está cada vez mais amadurecida, proporcionando à região do Nordeste, mais precisamente aos Estados da Bahia, Sergipe, Alagoas, Pernambuco, Paraiba e Rio Grande do Norte, uma opção de Service Desk Philips.

Clique aqui e conheça mais o nosso cliente.

Atuação em projetos no Sudeste aprimora os serviços da WS IT.

Em fevereiro de 2020 a WS IT deu um passo importante no seu posicionamento no setor de TI para a Saúde, se tornando a maior integradora (hub) de soluções de inovação para Clínicas, Hospitais e Laboratórios.

Situada no Nordeste do Brasil, a WS torna-se a 1a Healthtech distribuidora Philps Clinical no Nordeste. Se aprimorando a cada dia em Service Desk Philips Tasy.

Hospital Notredame – Intermédica

Localizado em São Bernardo do Campo – SP, o Hospital São Bernardo – Intermédica é o 4° (quarto) projeto de alta complexidade que a WS IT participa em 2020. O segundo em SP. Ampliando assim a nossa expertise em TASY e ratificando a excelência dos nossos serviços.

Como a BP usou o Tasy EMR para aumentar a Segurança do Paciente e a Eficiência Operacional

A BP – A Beneficência Portuguesa de São Paulo é um dos maiores polos de saúde da América Latina, com cerca de 1.000 leitos, 7.500 colaboradores e 4.000 médicos.

Ao longo de mais de 160 anos de história, porém, toda essa estrutura foi gerenciada com pouco auxílio da tecnologia, o que tornava os processos lentos e de difícil gerenciamento. Por isso, a BP viu a necessidade de uma transformação digital, tendo como norte a promoção de uma melhor assistência ao paciente por meio de informação e tecnologia.

DESAFIOS

  • Protocolos desatualizados e sem barreiras automatizadas contra erros.
  • Faturamento lento e dependente de documentos em papel.
  • Dificuldade para gerar indicadores assistenciais. 
  • SLA (Service Level Agreement) de entrega de medicamentos de apenas 65%.

RESULTADOS

  • Diminuição de 10% na mortalidade por sepse.
  • Implantação de alertas automáticos de risco e contra erros.
  • Média de 60% do faturamento no mesmo mês contra menos de 40% antes do Tasy EMR, sem aumento de equipe.
  • SLA de entrega de medicamentos de 98% e consequente redução de eventos adversos relacionados a medicamentos.

“Ter o Tasy significa ter foco na segurança do paciente, controle da rastreabilidade e poder tomar decisões rapidamente. Não vivemos mais sem o Tasy.”
Denise Santos – CEO

“Graças a diversas iniciativas de gestão, inclusive o projeto de implantação do Tasy, o Ebita, que era de R$ 70 milhões negativos em 2013, passou para R$62,6 milhões positivos em 2016, R$ 102 milhões em 2017 e em 2018, chegou R$ 120 milhões””
Lilian Quintal Hoffmann, CIO e CCO.

Para o futuro

Com o processo de gestão estabelecido e mais eficiente o passo seguinte para a BP é trabalhar na expansão do negócio. “Não dá para imaginar fazer a expansão se não estivéssemos no nível de gestão da informação que temos hoje com o Tasy”, afirma Denise Santos.


Manuseio de alarmes no ambiente hospitalar
Assista à palestra de Lilian Quintal Hoffmann sobre o tema.
“Além da segurança do paciente, buscamos equipes saudáveis.”

Liderança é o tema do próximo Webinar – FORTIS.

Evento digital da WSit com opiniões, informações e debates de profissionais de diversas áreas sobre o mesmo assunto.

Não fique de fora. O evento é gratuito e você já pode se inscrever clicando na imagem abaixo.

Agenda FORTIS Maio/2020

Com temas relevantes e atuais, o WEBINAR FORTIS tem se tornado um importante fórum de debate, opinião e informação em tempos de pandemia. São visões de Profissionais de diversas áres sobre o mesmo assunto.


Confira o que vem a seguir abaixo:

Vagas limitadas no Zoom! Inscreva-se antecipadamente para este webinar gratuito:


https://us02web.zoom.us/webinar/register/WN_jP8mevh1QS-6CKJaMGnM3A

Acompanhe no YOUTUBE ou ZOOM. Clique AQUI e se inscreva!

Click no link e acesse o WEBINAR

O FORTIS Telemedicina foi um sucesso.

A WS Technology realizou no último dia 19 de abril o webinar com o tema: Telemedicina – o que muda com as novas regulações. Que teve a participação do Dr Jorge Leal, oncologista clínico do grupo CAM de Salvador (BA) e o Professor Carlos Nestor Passos – Diretor do MeuMédico ex-Santa Casa da Bahia e ex-Hospital Aliança.

Assista o webinar no link abaixo:

https://m.facebook.com/story.php?story_fbid=2983896215000618&id=100001408077592

A saúde do futuro está nos cuidados com o Paciente

A onda de especializações na área da medicina, como fisioterapeutas, neurologistas, cardiologistas, permite atender com mais profundidade determinados problemas e males. No entanto, o excesso de expertise acabou deixando um pouco de lado a humanização. Nesse sentido, a saúde do futuro terá como foco ainda maior o indivíduo. O que isso significa? Imagine o que vai além da doença em si. Muitas vezes, um diagnóstico ou tratamento tem um impacto enorme na vida pessoal do paciente. É uma visão macro que o médico precisa ter.

Uma ação que será cada vez mais relevante na saúde do futuro é examinar os demais pormenores da rotina pessoal. Um tratamento ortopédico não irá cuidar apenas da coluna do paciente:o profissional deverá avaliar quais condições a pessoa trabalha, se é preciso uma reeducação na forma em que desenvolve suas atividades profissionais, se é preciso orientações alimentares, para perder peso e evitar dores, etc. A saúde do futuro preza por uma visão global e trata mais o indivíduo e as consequências de sua saúde do que somente a doença.

A tecnologia na saúde do futuro

Há diversos meios no qual a tecnologia pode se inserir na saúde futuro e trazer mais eficácia a todos os processos de tratamento e diagnósticos. Um cenário atual bastante discutido nacional e globalmente é a eficácia da droga medicada. Por isso, as informações medicamentosas integradas ao Prontuário Eletrônico do Paciente (PEP) são tão importantes. O protocolos clínicos têm evoluído continuamente para que os dados fiquem à disposição e online, de forma que o médico possa requisitá-los quando necessário e de forma automatizada.

As automatizações são um ponto-chave na saúde do futuro. A partir dos dados clínicos capturados pela equipe da instituição médica, será possível que uma ferramenta voltada para o setor consiga oferecer sugestões de medicamentos que podem ter uma eficácia otimizada de acordo com o histórico da pessoa e durante aquela situação clínica específica. Também poderá recomendar exames e processos que podem auxiliar o profissional na tomada de decisão mais precisa.

Um outro ponto da utilização da tecnologia na saúde do futuro está em garantir a segurança da administração da droga, seja na dosagem ou para evitar possíveis trocas do que foi realmente medicado e o que está sendo ministrado no paciente. Quando esse processo é inteiramente feito manualmente numa instituição, é possível que ocorram erros humanos, numa confusão dos itens acima: dosagem e tipo de medicamento.

 

O Beira-Leito faz parte da saúde do futuro

 

Atualmente, uma tecnologia que tem se destacado por oferecer mais segurança e precisão no tratamento do paciente é o Beira-Leito. Os cuidados possibilitados pela tecnologia fazem com que os processos ocorram de forma correta e que não exista brechas para ocorrerem confusões. Com a capacidade de automatização, pode-se obter uma certeza maior de que o que foi indicado está sendo administrado corretamente. O Beira-Leito ainda consegue reduzir custos, trazer mais dinamismo ao atendimento com foco na pessoa e aumentar a produtividade de todos os profissionais.

Aqui, você pode conferir como o Beira-Leito tem sido uma revolução na área e por quais motivos é considerado uma das tecnologias da saúde do futuro. Faça o download do material educativo!

 

Saúde do futuro está na integração entre profissionais

 

Voltando para a relevância do PEP, durante um tratamento clínico de um episódio de saúde, é bastante normal que vários profissionais estejam envolvidos e em contato com o paciente. O médico que está tratando a enfermidade pode precisar de interações com enfermeiras, técnicos de enfermagem, nutricionistas, etc. É fundamental que todos estejam na mesma página e que as informações consigam fluir adequadamente em todo o processo.

Nisso, o PEP é uma forma de assegurar que a equipe inteira consiga colocar sua percepção, de acordo com a especialidade, e que todos consigam consultar de forma fácil para promover um tratamento completo. A visão multidisciplinar da saúde está bastante relacionada com o foco no paciente, pois permite que as observações dos profissionais possam ser acessadas por aqueles que estão atuando no caso. Com isso, podem ter a visão globalizada e a segurança destacadas anteriormente.

O futuro da saúde está, por fim, relacionado com a facilitação do tratamento e o engajamento do paciente. Há inúmeras formas sendo desenvolvidas para que o médico possa trazer todos os pontos citados anteriormente com mais rapidez, produtividade e automatização. O objetivo é que as pessoas fiquem sempre em primeiro lugar.

PEP para Oncologia

PEP para Oncologia traz ferramentas personalizadas para atender as necessidade da especialidade

Por Alice Schmitt e Daniela Bichara em 17 de Abril de 2017, via PIXEON.COM

 

O prontuário eletrônico do paciente simplifica o atendimento nos hospitais, consultórios e instituições de saúde, pois reúne as informações médicas em um sistema informatizado e unificado, além de facilitar a rotina dos médicos, enfermeiros e outros profissionais do ramo.

 

Conhecido como PEP, o Prontuário eletrônico do paciente é uma das ferramentas de apoio mais efetivas para o tratamento de um paciente, porque garante que todos os registros médicos fiquem armazenados em apenas um local.

 

Para clínicas e hospitais especializados, o PEP traz ainda mais benefícios pois pode ser personalizado por especialidade para agilizar e tornar mais efetivo o atendimento. Para instituições de oncologia, o sistema possibilita maior produtividade, já que a maioria dos procedimentos e medicamentos já estão registrados, facilitando a rotina dos profissionais da saúde. Dessa forma, o médico tem uma lista de procedimentos e exames da sua especialidade no PEP, trazendo agilidade ao processo, já que é possível localizar e solicitar tais exames em poucos cliques. Os módulos de cada especialidade trazem automatizações necessárias para situações específica. A instituição de saúde pode também configurar os formulários do paciente, se houver necessidade, excluindo, acrescentando novos itens ou ainda tornando alguns campos obrigatórios.

 

O sistema também coordena as principais ações na realização de determinados procedimentos. Ao receber a prescrição quimioterapia para um paciente pelo médico, o PEP já direciona cada uma das atividades envolvidas no procedimento. O agendamento irá prever a disponibilidade da cadeira e aparelhos necessários. A farmácia receberá a informação sobre a necessidade de tais medicamentos. Se não houver os medicamentos necessários na farmácia, o sistema já avisa no agendamento do procedimento. O faturamento receberá de forma automática todos os itens utilizados pelo paciente para cobrança. Dessa forma, todos os setores se comunicam a partir da informação centralizada no PEP. Além disso, o sistema já calcula automaticamente a miligramagem para medicação, a partir da informação de peso e altura do paciente.

O controle de miligramagem tem alguns aspectos específicos que merecem sua atenção. Veja abaixo.

 

Controle de miligramagem

Fazer o controle do miligramado em medicamentos é fundamental, principalmente para o departamento de oncologia, por exemplo, já que a medicação tem um alto custo e necessita de uma moderação mais rigorosa. Por exemplo, a dose de um medicamento oncológico é baseada em algumas variáveis, como estágio da doença, estado do paciente e seu IMC (Índice de Massa Corpórea). Assim, dois pacientes com o mesmo tipo de patologia podem receber uma quantidade diferente de remédio. Por isso, é comum precisar fazer a extração do miligramado de forma correta, utilizando um sistema para ajudar no controle e não desperdiçar medicamento.

 

É comum que as farmácias manipulem grandes quantidades de medicações para administrar diferentes doses aos pacientes. Ao entrar em contato com o ar, o medicamento que já foi aberto precisa de uma nova data de validade e, por isso, ter o controle dele em um sistema de gerenciamento, que gerencie, organize e armazena datas e miligramado de forma automatizada, otimiza o trabalho dos profissionais da área.

 

Outro fator determinante para o controle do miligramado é o overfill. Em geral, os fabricantes colocam uma quantidade maior do que a indicada no frasco, para que não falte medicamento. Alguns técnicos de farmácia são capazes de fazer a extração de toda a miligramagem contida no recipiente. Assim, além da reutilização do medicamento do mesmo frasco em mais de um paciente, ainda se ganha alguns mililitros na extração correta do overfill.

 

As regras dos convênios também são algo a se considerar no controle do miligramado, pois alguns convênios fazem o reembolso em relação ao frasco e outros aos miligramas utilizados pelo paciente. Neste caso, é importante ter um sistema de gestão que permita fazer a cobrança de acordo com a regra específica de cada convênio, economizando tempo e resolvendo as questões financeiras da administração das doses com rapidez e eficiência.