Como a BP usou o Tasy EMR para aumentar a Segurança do Paciente e a Eficiência Operacional

A BP – A Beneficência Portuguesa de São Paulo é um dos maiores polos de saúde da América Latina, com cerca de 1.000 leitos, 7.500 colaboradores e 4.000 médicos.

Ao longo de mais de 160 anos de história, porém, toda essa estrutura foi gerenciada com pouco auxílio da tecnologia, o que tornava os processos lentos e de difícil gerenciamento. Por isso, a BP viu a necessidade de uma transformação digital, tendo como norte a promoção de uma melhor assistência ao paciente por meio de informação e tecnologia.

DESAFIOS

  • Protocolos desatualizados e sem barreiras automatizadas contra erros.
  • Faturamento lento e dependente de documentos em papel.
  • Dificuldade para gerar indicadores assistenciais. 
  • SLA (Service Level Agreement) de entrega de medicamentos de apenas 65%.

RESULTADOS

  • Diminuição de 10% na mortalidade por sepse.
  • Implantação de alertas automáticos de risco e contra erros.
  • Média de 60% do faturamento no mesmo mês contra menos de 40% antes do Tasy EMR, sem aumento de equipe.
  • SLA de entrega de medicamentos de 98% e consequente redução de eventos adversos relacionados a medicamentos.

“Ter o Tasy significa ter foco na segurança do paciente, controle da rastreabilidade e poder tomar decisões rapidamente. Não vivemos mais sem o Tasy.”
Denise Santos – CEO

“Graças a diversas iniciativas de gestão, inclusive o projeto de implantação do Tasy, o Ebita, que era de R$ 70 milhões negativos em 2013, passou para R$62,6 milhões positivos em 2016, R$ 102 milhões em 2017 e em 2018, chegou R$ 120 milhões””
Lilian Quintal Hoffmann, CIO e CCO.

Para o futuro

Com o processo de gestão estabelecido e mais eficiente o passo seguinte para a BP é trabalhar na expansão do negócio. “Não dá para imaginar fazer a expansão se não estivéssemos no nível de gestão da informação que temos hoje com o Tasy”, afirma Denise Santos.


Manuseio de alarmes no ambiente hospitalar
Assista à palestra de Lilian Quintal Hoffmann sobre o tema.
“Além da segurança do paciente, buscamos equipes saudáveis.”

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer entrar na discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *